Essa gripe não me deixa!

Eu ouvi essa reclamação na sexta e achei que seria um bom tópico para o segundo post. As pessoas que me cercam me parecem muito paranoicas com doenças respiratórias (Acho que eu poderia dizer o Povo Brasileiro, mas como eu não conheço essa galera toda, ficarei em quem conheço). E isso é bem representado pelo comercial televisivo em que uma pessoa espirra e todos ao redor alardeiam: É gripe. COMO ASSIM? Vocês tão dando um diagnóstico baseado em um espirro? E sério isso?

Me pergunto se essas mesmas pessoas que fizeram uma impressionante faculdade de medicina que os permite fazer diagnósticos dessa maneira saberiam me dizer qual a diferença de rinite, resfriado e gripe. Eu fiz biologia e, apesar de não me sentir nem um pouco confiante em fazer um diagnóstico, em algum momento já estudei essas doenças e posso tentar diferencia-las.

Rinite X Resfriado X Gripe

A rinite é uma doença alérgica, sem o envolvimento de uma infecção. É simplesmente seu corpo “não indo com a cara” de alguma coisa. Um exemplo é aquele teu primo que é alérgico a poeira e entra num lugar que não é limpo faz tempo e começa a espirrar loucamente. O nariz entope e começa a criar secreção, numa maneira do seu corpo se proteger daquilo que ele considera ser um vilão terrível (e geralmente não é, basta pensar em alergia a morango, essa deliciosidade).

Já o resfriado e a gripe são causados por vírus. Ainda assim, são doenças diferentes. O resfriado pode ser causado por um número enorme de vírus. Além do entupimento do nariz e secreção, pode aparecer um arranhar de garganta ou mesmo uma febrezinha mixuruca. Cada pessoa é uma pessoa e sintomas variam em cada um, assim só um médico para saber o que você tem realmente (e quando ele diz virose, ele está falando sério e certo), mas podemos dizer que é a doença que tem sintomas tranquilos. Sua vida continua normal, mas com meleca. A gripe já pega pesado, com febre que ultrapassa 38ºC, dor no corpo e mal-estar. Já ouvi muito que a gripe é um resfriado mal curado que ficou sério, mas a gripe e o resfriado são coisas diferentes, causados por vírus diferentes.

Para a tristeza da galera, podemos ter vários resfriados ao longo da vida, muitas vezes um atrás do outro. Existem MUITOS vírus que causam o resfriado, e ao ficar resfriado, desenvolvemos defesa contra aquele vírus específico (chamemos de A). Se logo depois encontramos com outro vírus (o B), não temos nenhuma proteção contra esse e ficamos resfriados de novo. E o mesmo com o C e assim por diante. E seguindo a mesma lógica, tomar vacina da gripe não protege de resfriado, protege de gripe (que é causada pelo famoso vírus Influenza). Por isso o comuníssimo mal-entendido do “Pô, tomei a droga da vacina da gripe e logo em seguida fiquei gripado” Não, migo, você não ficou gripado, ficou resfriado, acontece, é normal.

Filha, fecha essa geladeira que você vai ficar gripada!!!

Quem nunca ouviu essa frase ou versão semelhante? O nome do vírus influenza vem exatamente disso, do italiano influenza di freddo ou influência do frio (se é mentira, meus professores me enganaram direitinho). Os italianos de antigamente perceberam que gripes epidêmicas ou pestes ficavam piores no inverno e acharam que devia ser por causa do frio que fazia. Na verdade, o que causa o aumento dos casos é o aglomeramento das pessoas, aumentando a transmissão entre elas (Está frio, ninguém quer sair na rua, fica todo mundo coladinho para se aquecer e higiene não é exatamente o forte do ser humano, especialmente em lugares frios).

Fiquei resfriado, corro para a farmácia e encho a cestinha

Ok, mas saiba que só a indústria farmacêutica agradece. Não existe remédio para vírus (tá, até existe, mas eles são fortes e cheios de efeitos colaterais. Você não quer tomá-los por causa de resfriado/gripe, deixa eles para vírus como o HIV). O que se vende na farmácia como antigripais são um misto de estimulante, antialérgico e antitérmico. O estimulante te engana, para que você pense que está menos podre. Segundo conhecidos de farmácia, o antialérgico está em doses tão pequenas que não tem efeito nenhum, e para colocar uma doses maior, ele teria que ser vendido como antialérgico e seria regulado, acabando com a farra de vendas livre na prateleira. E o antitérmico é para baixar a febre e aliviar as dores no corpo, mas se eles se fizerem necessários, porque não usar só o antitérmico/analgésico, para que uma combinação?

Digo, um paracetamol, para a febre.

As pessoas adoram um remédio e ficam muito insatisfeitas quando vão ao médico e ele receita água e repouso. Mas a resposta é essa aí. Então ficam mudando de médico até achar um sem paciência que tasca qualquer coisa para se livrar do paciente mala (sim, placebo). E a vitamina C entra lindamente nesta categoria.

A Vitamina C e o Resfriado

Desde sua descoberta, a vitamina C ganhou fama de curadora de todos os males. Ela tem uma função importante e várias pessoas morreram pela sua ausência, mas não nos empolguemos. Hoje em dia sabemos que a falta de vitamina C causa o escorbuto, mas quem atravessava o atlântico em caravelas desconhecia a informação. Eles sabiam que em longas viagens, os marinheiros ficavam doentes, mas nem passou pela cabeça de ninguém que a falta de frutas e legumes na alimentação durante a viagem seria a causa. Em mil setecentos e bolinha, alguém resolveu tratar esses doentes e percebeu-se que quem comia laranja ou limão melhorava do escorbuto. Mas foi só no século 20 que se descobriu a vitamina C.

Linus Pauling foi um ganhador de 2 prêmios Nobel, um de química pelo seu estudo em ligações químicas e um da paz, pela sua luta contra o uso de armas atômicas. Por ambos, muitas palmas para ele. Existem muitas histórias de como ele ficou sabendo da vitamina C, e realmente não importa, o que importa é que o homem ficou obcecado. Inclusive basicamente criou a medicina ortomolecular. Eu fui ler uma revisão dele sobre vitamina C, e a primeira impressão que tive é que era ok, mostrando referências de vários grupos diferentes, diversos estudos, etc. Mas se você é um cientista, a pulguinha coça atrás da orelha quando você lê algo que só cita artigos em que algo só tem efeitos positivos, nada é sem efeito ou negativo, e que causa melhoras da gripe ao câncer. Aí eu fui buscar revisões de outros autores da mesma época e (surpresa!) nesses os artigos que eu estava sentindo falta, os que não viam diferença, os que eram inconclusivos, também apareciam. Que feio, eu vi o que você fez! E nem vou comentar os estudos que ele elogiava sobre a longevidade ao câncer, tão mal desenhados que dá até desgosto.

Não achei nada que indicasse que isso fosse verdade, mas se for, nesse caso estamos juntos sobre não usar seu nome para alardear algo referente a crença como verdade (I want to believe).

Cerca de 40 anos depois, vários estudos foram feitos, com mais pessoas e com tipos de pessoas diferentes. Hoje, sabemos que tomar vitamina C regularmente não previne resfriados, a não ser que você seja um atleta de elite. E tomar vitamina C quando você já está resfriado também não ajuda muito. Se sem tomar nada, você deve ficar resfriado por uns 5 dias, tomando vitamina C você vai ficar por uns 4 dias e 14 horas. Eu não sei vocês, mas eu prefiro investir o dinheiro que gastaria na farmácia com vitamina C em lenços de papel extra macio, o benefício me parece bem maior.

E porque ninguém fala nada contra isso. Primeiro, a força de um Nobel é muito forte, e quando um resolve fazer uma cruzada em nome de algo, os outros falam e ninguém escuta. Segundo, e mais importante, a vitamina C, mesmo em altas doses, é uma das raras substâncias que quase não apresenta efeitos colaterais. Ou seja, ninguém vai morrer porque tomou muita vitamina C, sendo os efeitos colaterais mais comuns, diarreia, vomito e pedras no rim, algo bem aceitável. Assim, ela se torna um ótimo placebo. A indústria farmacêutica ganha vendendo aos tubos e os médicos ganham algo para dar aos pacientes mala. E você acredita que está medicado e se sentindo bem melhor. Um estudo muito mal realizado, mas que teve um resultado interessante mostra exatamente isso. Ao administrar um placebo que não lembrava em nada vitamina C, mais da metade dos pacientes de um estudo percebeu quem tomava vitamina C e quem tomava placebo. Assim, ao avaliar os resultados, o grupo vitamina C reportou ter bem menos episódios de resfriado durante o tempo de estudo (9 meses) que o grupo placebo. Mas quando os pesquisadores cortaram os espertinhos, deixando apenas os tapadinhos de ambos os grupos (que não se deram conta do que estavam tomando), os resultados ficaram iguais em ambos os grupos, maior que o grupo vitamina C total e menor que o grupo placebo total. Ou seja, quem sabia que tomava vitamina C achou que teve menos episódios e quem sabia que estava tomando farinha achou que teve mais episódios. A mente é muito induzível.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s